Museu Histórico é interditado após desabamento do forro em Ribeirão

23/03/2016 às 11:40:35

Museu Histórico é interditado após desabamento do forro em Ribeirão

Museu Histórico é interditado após desabamento do forro em Ribeirão

O Museu Histórico de Ribeirão Preto (SP) foi lacrado por tempo indeterminado neste sábado (5) depois que parte do forro desabou. Segundo o diretor geral do museu Daniel Basso, o telhado está cheio de goteiras e infestado de cupins, colocando em risco a segurança de funcionários e visitantes.

“O museu está pondo em risco a vida das pessoas. Eu não posso abrir o museu enquanto não consertar tudo o que tiver para consertar", diz Basso.

Procurada, a prefeitura não se pronunciou sobre o assunto.

Precariedade
O desabamento do forro aconteceu na sala que abriga um piano de 145 anos e o primeiro órgão da Catedral de Ribeirão Preto. O museu estava fechado e ninguém ficou ferido.

Segundo Daniel Basso, a queda foi causada pelas goteiras, já que o telhado está danificado. À frente do museu há sete anos, Basso disse que a estrutura nunca passou por uma reforma e a chuva passou a ser um transtorno para a direção. A umidade e os cupins acabaram comprometendo a cobertura e ameaça o acervo.

"

Chove, cai água do telhado, infiltra no forro, que é de madeira. Cai no piso, infiltra no piso e acaba comprometendo o acervo, porque a maior parte do acervo do museu está no porão, são mais de seis mil peças neste porão. Ai pode estragar todas as peças.”

O diretor afirma que vários ofícios foram enviados à prefeitura ao longo dos anos alertando sobre as más condições. De acordo com Basso, há alguns meses, o secretário de Cultura, Alessandro Maraca, chegou a informar que havia uma verba emergencial para reparos, mas até o momento nada foi feito.

“Não adianta o secretário trocar o forro se não arrumar o telhado, é jogar dinheiro pro alto. Tem que começar pela poda das árvores [ao redor], arrumar o telhado, depois o forro, depois o piso. Tem que fazer nessa sequência certa, senão não resolve nada”, afirma.

Chuva no Museu do Café
De acordo com o diretor, o Museu do Café também passa pelos mesmos problemas de falta de manutenção. Em épocas de chuvas fortes, a água invade o prédio e atinge as peças. "O problema dele é até mais sério. A chuva escorre pela parede, e já está comprometendo a peça mais importante do museu."

Ele revela ainda que por várias vezes chegou a fechar o prédio por temer acidentes com os visitantes.  "O meu medo é se cai esse forro na cabeça de uma criança. Ali fora nós temos o pavilhão Duque de Caxias, é um prédio condenado, os vidros estão todos caindo. Semana passada um dos vidros caiu nos pés de uma senhora."

Itens da biblioteca do museu também já foram comprometidos por conta da umidade e pela ação de cupins e traças. "A gente estava fazendo um trabalho de recuperação de livros, mas tem uma parte aqui da biblioteca que está totalmente condenada. A infiltração já deformou as caixas, estão todos perdidos. É um prejuízo para cultura da cidade", lamenta.

Restauro
Procurada, a prefeitura não se manifestou sobre o assunto.

Em fevereiro, a Secretaria da Cultura assinou um termo de anuência com diretores do grupo Arq Art para o restauro total dos dois museus. O documento prevê que o grupo capte recursos junto à iniciativa privada, através de incentivos fiscais, e na esfera federal.

O secretário Alessandro Maraca afirmou que o projeto será realizado em etapas, mas a previsão é que o serviço dure anos.

http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2016/03/museu-historico-e-interditado-apos-desabamento-do-forro-em-ribeirao.html